quinta-feira

31º Capítulo

Concentrar-se no trabalho durante o resto da tarde foi tão impossível quanto enganar a Ashley. Vanessa não pensava noutra coisa a não ser na chegada de Lilly.
Quando Zac abriu a porta do seu escritório para pedir-lhe alguns papéis, ela não resistiu. Resolveu tocar no assunto, casualmente.
- Zac, é hoje que vai buscar Lilly e o irmão no aeroporto, não?
Ele a fitou por alguns instantes antes de responder.
- Não - falou por fim. - O irmão dela me ligou ontem à noite para avisar que só vão poder vir amanhã.
- Oh... - Vanessa não sabia o que dizer. - Você deve ter ficado desapontado, quero dizer, agora terão pouco tempo juntos, não é mesmo?
- Espero que não.
- Não...? - Vanessa sentiu um aperto no peito. - Mas Lilly vai ter que voltar logo para Nova York, não é mesmo?
Com um ar pensativo, Zac aproximou-se.
- Acredito que sim - disse, parando bem junto da escrivaninha de Vanessa. - Mas se tudo correr bem, espero que ela queira ficar comigo para sempre. - Pelo menos a última parte não era mentira, pensou mais aliviado.
- Vai conseguir convencê-la, Zac - Vanessa forçou-se a dizer. - Tenho certeza de que vai, não se preocupe.
- Espero que sim. - Ele a tocou de leve no ombro.
– E tudo graças a você, Vanessa... Que tal irmos ao Ricetti esta noite?
Vanessa levou um choque:
- Como?!
- Quer sair comigo esta noite?
- Mas... Zac...
- A não ser que tenha algum outro compromisso, é claro.
O único compromisso dela era com o travesseiro onde pretendia chorar até às lágrimas.
- Não, é claro que não, Zac! Eu adoraria ir com você ao Ricetti.
- Seis e meia, então?
- Combinado, estarei esperando.
Quando ficou a sós, a vontade de Vanessa foi começar a chorar ali mesmo, no escritório.
Vanessa olhou para Zac do outro lado da mesa e sorriu. Ele estava maravilhoso.
Usava o pulôver que ela lhe havia dado e parecia tão à vontade, tão seguro de seu charme, que a fazia sentir-se como uma adolescente bobinha.
Ele mesmo encomendou as pizzas e para surpresa de Vanessa pediu uma garrafa de vinho tinto.
- Para comemorarmos - disse-lhe, sorrindo.
Comemorarem o quê? Vanessa pensou com tristeza. Só se fosse a desgraça dela. Criando coragem, falou a respeito da festa do dia seguinte.
- Não está nervoso por ter de dançar com Lilly, está, Zac?
- Não. - Ele a fitou, com muita emoção. - Só espero que ela entenda que tudo que fiz foi por amá-la.
Vanessa engoliu em seco. Havia um nó em sua garganta, uma tal pressão no peito que temia não aguentar a espera para chorar no travesseiro.
Vanessa dormiu até tarde na manhã seguinte. Acordou deprimida, desanimada, sem vontade até para tomar o café da manhã, fato inédito para ela.
Atravessava um dos raros momentos da vida em que a solidão a incomodava. Necessitava urgentemente de se abrir com alguém. Correria para os braços da mãe se pudesse, mas, e quanto a Zac? E a promessa que lhe fizera de guardar segredo?
Talvez um dia, depois que ele e Lilly se entendessem, acabasse contando tudo à mãe. Diria a ela como fora idiota apaixonando-se por um homem que a via apenas como amiga, nada mais.
Vanessa passou boa parte do dia pensando em Lilly: como seria ela? E em Zac: como estaria ele? E em Lilly junto com Zac: o que estariam fazendo?
Oh, Deus! Daquele jeito ela ia acabar enlouquecendo. Não podia continuar o dia inteiro fechada no apartamento se martirizando daquela maneira! Iria ao shopping fazer algumas compras com o dinheiro que ganhara como presente de Natal de sua mãe.
Felizmente o tempo havia melhorado bastante nos últimos dias. Um pouco mais animada, Vanessa se arrumou e saiu para as compras.
No shopping, aproveitando algumas ofertas, escolheu dois vestidos, um par de sapatos e uma bolsa. Voltou para casa cheia de pacotes, mas descobriu que continuava tão desanimada quanto antes de sair.
Céus, era demais! Quanto tempo uma pessoa levava para se recuperar de um coração partido? O que faria uma outra mulher em seu lugar, perguntava-se a cada minuto, e a resposta era sempre a mesma.
Vá procurá-lo, Vanessa! Diga que o ama e veja o que acontece.
Vanessa estava a ponto de gritar quando a campainha tocou. Seu corpo estremeceu ante a possibilidade de ser Zac e ela correu para a porta.
Era Liam.
- Oi, amigona! Tudo bem com você? Vim até aqui há pouco, mas você não estava.
- Fui fazer compras, Liam.
Vanessa o levou à cozinha e tirou uma garrafa de refrigerante da geladeira.
- Não vai sair hoje à noite?
- Não.
- E Zac? Não tem um encontro com ele?
Vanessa colocou dois copos sobre a mesa e abriu a garrafa.
- Zac irá à festa da firma esta noite.
Liam a fitou por alguns instantes. Parecia intrigado com o desânimo de Vanessa, sempre tão entusiasmada.
- O que você vai fazer amanhã? - Tentou animá-la. – O time de Alex vai jogar pelo campeonato, você vai assistir?
Para ser sincera, Vanessa nem se lembrava mais da existência de Alex. Mas não disse ao garoto.
- Acho que vou, Liam. Não quer vir ver aqui em casa junto comigo?
- Puxa, eu adoraria! - Liam levantou-se aflito. - Cruzes! Acabo de me lembrar que tenho de pôr o lixo para fora. Deixe eu ir antes que minha mãe descubra que me esqueci.
Vanessa fechou a porta assim que Liam saiu. Foi para o quarto e começou a se despir. Ia à tal festa atrás de Zac e revelaria a ele seus sentimentos.
Lilly, se não gostasse, que pegasse o primeiro vôo de volta a Nova York, onde era o lugar dela.
A decisão a deixou mais tranquila.
Tomou um rápido banho de chuveiro, colocou um dos vestidos novos e tratou de maquilar-se com extremo cuidado. Queria estar perfeita. Precisava de todas as armas, se tinha intenção de derrotar Lilly.

Boa noite amores
Nossa a Vanessa ta sofrendo mesmo hein!?
É isso ai Vanessa corra atrás do seu homem...
Agora eu quero ver... Agora vai, sinto que vai!
Comentem ai...
Obrigada pelos comentários
Beijinhoos e até qlr hora..

3 comentários:

  1. coitadinha da Nessa
    quero só ver a reação dela quando souber que Lily não existe
    rsrs
    o Zac tem que contar logo
    ameei ♥♥♥
    posta mais,kisses

    ResponderExcluir
  2. OMG
    Agora vai.. se Deus quiser vai rsrss
    Amei i capítulo ♡

    ResponderExcluir