domingo

24º Capítulo

- Obrigada, Zac - Vanessa corou. Apesar de ter sonhado muitas vezes em ouvir aquelas palavras, não esperava que Zac as dissesse. - Não quer tomar um café ou alguma outra bebida antes de sairmos?
- Acho melhor irmos logo antes que as ruas fiquem muito escorregadias. Mas antes... - Ele tirou uma caixinha branca do bolso, amarrada com um laço vermelho. - Gostaria de dar-lhe isto para usar na festa desta noite.
- Zac! - Ela recebeu o presente, sem jeito. - Não devia ter feito uma coisa dessas. Principalmente porque de certa forma eu o forcei a ir a esta festa comigo.
- Não me forçou a nada - ele retrucou suavemente. - Espero que você goste.
Se receber o presente foi uma grande surpresa para Vanessa, abrir a caixinha foi ainda maior. Pousado no fundo de veludo vermelho se encontrava o broche mais lindo que ela já vira. Uma águia de ouro com dois minúsculos diamantes no lugar dos olhos.
- Zac! Eu não sei o que dizer!
Zac chegou bem perto dela.
- Por que não me diz apenas se gostou ou não?
- Se gostei?! - Vanessa ergueu os olhos para ele. - É lindo, Zac, mas... mas não mereço uma joia destas.
- Não merece? Que bobagem, Vanessa...
- Deve ter custado muito dinheiro. Não devia ter me comprado um presente tão caro.
- E por que não?
- Bem, porque... porque Lilly poderá ficar sabendo, Zac. E se ela se zangar?
Zac sorriu. Um sorriso tão sexy que quase fez Vanessa perder o fôlego. Há quanto tempo ele olhava para ela daquele jeito? Será que não havia notado antes?
- Confie em mim. Lilly nunca vai ficar sabendo sobre o broche.
- Mas...
- Venha cá. - Zac tirou o broche da caixa. - Deixe-me colocá-lo em você.
Vanessa precisou esforçar-se ao máximo para manter-se imóvel enquanto ele prendia a águia do lado esquerdo de seu vestido. A proximidade de Zac a deixava com as pernas bambas. Sentia um desejo enorme de passar-lhe os braços ao redor do pescoço e beijá-lo, mantendo os lábios colados nos dele por tanto tempo, até que os dois perdessem o fôlego e já nem se importassem mais de ir à festa de Natal.
Mas como poderia satisfazer seus impulsos sem causar má impressão? Droga de Lilly ou quem quer que fosse a mulher dos sonhos de Zac! Droga! Mil vezes droga!
As mãos trêmulas de Zac finalmente conseguiram prender o fecho do broche. Como prestar atenção no que estava fazendo com os seios de Vanessa ali tão próximos?
Podia perceber o movimento deles para cima e para baixo enquanto ela respirava. Sentia-lhe o ar morno saindo-lhe dos lábios. Oh, como gostaria de beijá-la. Vanessa estava linda, tão sedutora. .. Se pudesse a tomaria nos braços e a beijaria até despertar-lhe o mesmo desejo que lhe queimava o corpo naquele momento.
Mas não podia. Vanessa iria pensar que ele não passava de um vigarista, um aproveitador mentiroso e falso. Oh, droga, Zachary! Por que diabos você foi inventar a existência de Lilly? Porque você ama Vanessa, ele mesmo se consolou, afastando-se dela.
- Pronto - disse, estudando o broche. - Acho que ficou um pouco torto, mas talvez ninguém note.
Vanessa olhou para a águia e suspirou.
- Oh, Zac! Nunca vi nada mais bonito. Acha que eu poderia usá-la o ano inteiro além da festa de hoje?
Zac riu. Um riso tão suave que chamou a atenção de Vanessa. Ergueu o rosto para ele e o desejo de beijá-lo voltou com intensidade dobrada. Lilly que a perdoasse, mas não iria se reprimir. Não daquela vez.
Vanessa aproximou-se e roçou os lábios nos dele gentil e suavemente.
- Obrigada, Zac. Foi o presente mais lindo que já recebi em toda a minha vida.
- De nada... - Zac tentou sorrir.
- Oh céus, Zac! Deixei marca de batom em sua boca! - Vanessa passou o dedo nos lábios dele. - Imagine o que não vão pensar se chegarmos à festa com você desse jeito!
Zac riu.
- Não dou a menor importância ao que eles pensem. E você? Importa-se?
- Eu...? - Vanessa o fitou durante alguns instantes. Talvez Poncho não estivesse tão apaixonado assim por Lilly quanto acreditava. Ela sorriu. - Não, Zac. Eu também não ligo a mínima.
- Bem... - Zac pegou o casaco de pele de Vanessa sobre o sofá. - É melhor irmos agora.
Ela vestiu o casaco e os dois saíram. No caminho para o carro, Vanessa segurou-lhe o braço chegando bem perto dele.
- Este será o Natal mais feliz da minha vida, Zac.
Sim, Zac pensou ao abrir a porta do carro. Graças a ela, também seria o dele. Vanessa havia mudado sua vida. Agora não adiantava mais olhar para trás.
Aliás, sua maior esperança era a de que nunca mais tivesse de olhar para o passado.
Oiiii
Demorei mas vim hahahaha
Sinto que essa festa de Natal promete!! Alguém mais concorda??
Está cada vez mais difícil dos dois disfarçar ...
Comentem ai...
Obrigada pelos comentários
Beijinhoos e até amanhã...

2 comentários:

  1. Zac se declara meu filho
    tô quase te matando aqui
    tá muito perfeito esse capítulo
    posta mais hj amore,ekisses

    ResponderExcluir
  2. Meus nervos não aguentam ,que enrola meu senhor,ansiosa pra saber o que vai acontecer nessa festa,posta mais bjs bjs

    ResponderExcluir