sábado

23º Capítulo

- Não queria envergonhá-la na festa de Natal.
- Eu jamais me envorganharia de você, mesmo que não tivesse mudado. Quando digo que estou orgulhosa, é porque decidiu ser você mesmo e sair de seu esconderijo.
Zac sentiu um desejo enorme de abraçá-la, de beijá-la, dizer que a amava. Ah, Vanessa... Se soubesse como ele estava feliz naquele momento!
- Bem - disse, puxando-a pela mão. - Agora me sinto preparado para dançar .Vamos ver se não esqueci os passos que me ensinou.
- Zac! - Vanessa exclamou eufórica enquanto rodopiava com ele pela sala.
Quem diria que Zachary Efron algum dia chegaria a uma atitude daquela? E quem seria ela para contrariá-lo? Procurando não desafinar demais, Vanessa pôs-se a cantarolar um velho rock que sabia de cor. Zac só faltou subir em cima da mesa.
Em meio a tamanha algazarra não escutaram quando a porta do escritório foi aberta. Só deram conta da presença do sr. Reynolds, o presidente da companhia, ao ouvirem-lhe a voz.
- Efron...? Algum problema por aqui?
Zac ficou roxo. Afastando-se de Vanessa, tratou de recompor-se.
- Não, senhor - disse nervoso. - Nós... nós estávamos antecipando a festa de Natal. Desculpe-nos se o incomodamos, sr. Reynolds.
- Não se preocupe, rapaz. - O velho sorriu com malícia. - Depois do que trabalhou este ano, tem todo o direito de divertir-se um pouco, Efron.
Vanessa sorriu, concordando, e o sr. Reynolds deu-lhe uma piscada antes de sair do escritório. Assim que ele fechou a porta, ela e Zac explodiram na gargalhada.
Os dias passaram muitos rápidos para Vanessa. Ela e Zac trabalharam duro a fim de terminarem os relatórios e deram um jeito de concluí-los antes do prazo previsto.
Por duas noites seguidas, foram ao shopping center fazer compras de Natal. Encontraram as lojas cheias de gente, com muitos enfeites natalinos e canções típicas inundando o ambiente.
Zac disse-lhe que nunca havia visto alguém ir às compras com o entusiasmo de Vanessa. E ela, por sua vez, respondeu-lhe, rindo, que nunca conhecera alguém tão esbanjador quanto ele.
Zac respondia-lhe que não estava gastando tanto assim, mas, para Vanessa, era um exagero. Principalmente a quantidade de presentes que ele comprou para Lilly.
Há algum tempo Vanessa vinha fazendo o possível para não pensar naquela mulher, mas durante as compras a sombra da nova-iorquina voltou a pairar entre os dois. Vanessa acabou por admitir que começava a ficar enciumada.
Achou extremamente difícil, senão frustrante, ajudar Zac a escolher perfumes, lingeries sofisticadas e um caríssimo par de brincos para uma outra mulher.
Esmeraldas! Vanessa só faltava morder a língua de forma a manter-se calada.
Havia sido um tremendo sacrifício não dizer a ele que Lilly certamente não valia um par de brincos de esmeralda! Mas Zac lhe parecera tão decidido que tratara de sorrir, apenas, afinal, a joia de fato era lindíssima.
Vanessa sacudiu a cabeça, resolvida a afastar todos aqueles pensamentos. Não iria se preocupar com Lilly naquela noite. Era o dia da festa de Natal e, em menos de uma hora, Zac chegaria para acompanhá-la. Queria estar maravilhosa para ele.
Tão deslumbrante que um simples olhar o faria esquecer completamente a mulher por quem se dizia apaixonado.
Talvez não fosse um jogo muito limpo, mas estava decidida. Segundo Zac, Lilly nunca lhe havia dado uma chance quando estiveram juntos na universidade. Se a nova-iorquina havia sido cega o bastante para não perceber o tesouro de homem que estava desprezando, ela trataria de tirar vantagem da situação.
Amava-o. Sim, amava-o demais! A princípio ficara com medo de admitir a si mesma. Mas vê-lo comprar todos aqueles presentes para Lilly, como que a forçou a examinar os próprios sentimentos.
A mãe não havia lhe dito que algum dia encontraria o homem certo? Pois bem, Zac era esse homem.
Mesmo se dizendo apaixonado por outra mulher. Cabia a ela, Vanessa, mudar a situação de alguma maneira. Mostrar a Zac que a verdadeira mulher ideal para ele era sua secretária!
Durante o dia todo, o tempo foi se tornando cada vez mais frio. Uma vez que a festa não seria formal, o mais indicado era usar calças compridas. Mas Vanessa não quis. Preferia estar mais arrumada e decidiu que não seriam alguns flocos de neve a mais que a fariam mudar de ideia.
Há uma semana vinha planejando usar um vestido de lã lilás, marcante nos quadris e com gola e punhos de pele no mesmo tom. Após maquilar-se cuidadosamente e prender os cabelos num pequeno coque na nuca, perfumou-se toda.
Zac chegou cinco minutos antes do combinado.
Incrível como se sentia nervosa. Já havia dado umas dez voltas pela sala quando a campainha tocou. Nenhum homem até então a deixara naquele estado. Mas por outro lado nunca desejara tanto agradar a alguém como a Zachary Efron.
Ao abrir-lhe a porta, encontrou-o com flocos de neve nos cabelos e nos ombros.
- Zac! Está tão ruim assim o tempo?
- Péssimo. - Ele entrou rapidamente, fechando a porta. - Está um gelo, você não imagina. Pelo visto vamos ter uma tempestade de neve ainda esta... - ele se interrompeu ao olhar para Vanessa. Os olhos azuis brilhavam. - Você está linda! As outras mulheres vão desaparecer ao seu lado.
Oiiii
Acho que se colocássemos um medidor de ciúmes na Vanessa
esse já teria explodido a muitoo tempo hahaha
Quero só ver o que ela vai fazer quando souber que Lilly é uma farsa!!
Eu ri agora.... a V tentando competir com a Lilly sem saber
que a Lilly não existe e a mulher que o Zac ama é ela.... Ou seja,
competindo com ela mesma #morta
Zac conte logo a verdade pelamor....!!
Comentem ai...
Obrigada pelos comentários
Beijinhoos e até amanhã...

3 comentários:

  1. ai mds a coitada correndo o risco de ficar doente r o Zac não fala logo a verdade posta mais bjs bjs

    ResponderExcluir
  2. Vou ter um treco aqui
    Eu tô mega ansiosa
    Amei o capítulo ♡♡♡♡
    Posta mais hj amore
    Please

    ResponderExcluir
  3. Que tudoooo eu adorei e ate quem fim a Vane assumiu estar apaixonada pelo Zac, eu só espero que ela não se zangue ao descobrir que a Lily não existe. Posta logooo to amandoo.

    ResponderExcluir