sexta-feira

22º Capítulo

Vanessa estudou a mãe durante alguns segundos.
- Você nunca se casou de novo.
- Porque não encontrei o homem certo.
- Ainda ama meu pai?
Gina pegou o batom, abriu-o e ficou olhando seu vermelho intenso.
- De certa forma. Vivemos juntos durante muitos anos. Tivemos você. São vínculos que não se desfazem de uma hora para a outra. Só que isso não quer dizer que eu não possa me apaixonar por um outro homem.
- Não tem medo que ele a faça sofrer como fez papai?
Gina começou a passar o batom.
- Não, não tenho. - Pegou um lenço de papel na gaveta e tirou o excesso. - Escute, querida. Não é justo colocar toda a culpa em seu pai. Também fiz muita coisa errada, hoje sei. Tem que lembrar que somos humanos. Todos erram, inclusive os pais. É um erro achar que pai e mãe não têm defeitos.
- É por isso que acho que nunca vou querer ser mãe.
Gina caiu na gargalhada.
- Oh, meu amor... Quando encontrar o homem certo vai perceber quantas bobagens está me dizendo hoje. Mas o que está amolando você? O rapaz com quem ia sair desistiu?
- Não. Não tenho nenhum encontro para hoje.
Assim que falou, Vanessa percebeu a razão de tanta infelicidade. Estava desapontada porque não ia encontrar-se com Zac depois de terem estado juntos duas noites seguidas.
Gina deixou o banheiro e Vanessa a seguiu até o quarto, sentando-se na cama.
- Já planejou seu Natal, querida? - indagou à filha enquanto calçava as meias de náilon.
- Ainda não. Por enquanto sei apenas que teremos uma festa na firma no dia vinte e quatro.
- Espero que não fique desapontada, mas fui convidada para passar os feriados de fim de ano esquiando em Taos, no Novo México.
- Que maravilha, mãe!
- Acha que ficará bem sem mim, querida?
Vanessa costumava passar o Natal com ela. Não adorava a ideia de se ver sozinha naquele ano, mas por nada no mundo estragaria o passeio da mãe.
E depois, podia preparar um almoço gostoso se quisesse. Liam com certeza iria aparecer para mostrar-lhe seus presentes. E quem sabe Zac também, pensou, animando-se.
- É claro que ficarei bem, mãe. Estou pensando em convidar Zac. Posso preparar algum prato especial e...
- Zac, seu chefe?
- É. A família dele está na Califórnia, por isso acho que vai estar sozinho também.
- Faça isso, querida. - Gina deu uma volta já totalmente arrumada. - Que tal estou?
- Uma gata. - Vanessa levantou-se. - E agora preciso ir, mãe. Vê se me liga antes de viajar, tá?
Gina abraçou a filha.
- Fique tranquila, amor. E você, não deixe de convidar seu chefe, hein? Não quero pensar que passou o Natal sozinha.
Imagine se ela deixaria. Vanessa saiu já com planos para o almoço de Natal.
Na manhã seguinte, Vanessa batia algumas cartas quando Zac entrou no escritório. Erguendo os olhos da máquina, quase perdeu a fala ao vê-lo. Tinha certeza de que era ele, no entanto não conseguia acreditar.
- Zac! Você está sensacional!
Um pouco sem jeito, Zac aproximou-se. Tinha a impressão de que caberia mais um dele dentro daquele traje novo. Mas o vendedor lhe dissera que não se usavam mais ternos talhados e ali estava ele, com aquelas enormes calças cinzentas e um blazer azul-marinho que mais parecia um sobretudo.
- Você gostou?
- Se gostei?! Adorei! É o homem mais elegante que já vi! - De repente Vanessa colocou a mão na boca. - E cortou o cabelo também!
Sim, ele havia feito muitas mudanças. E não fora fácil criar coragem para tantas inovações.
Primeiro o guarda-roupa. Numa atitude irracional, como lhe diria a mãe, livrara-se de todos os ternos. Trajes de velórios, dizia a si mesmo enquanto esvaziava o armário. Em seguida pedira à governanta que chamas-se o Exército da Salvação para que levassem tudo embora.
Fora para o shopping e entrou na butique mais sofisticada de roupas masculinas. No instante de sair do shopping, um último ato de coragem. Sentou-se na cadeira de Jean Pierre, o cabeleireiro do "executivo moderno", segundo uma revista que assinava.
E ali estava ele. Novinho em folha e, para própria surpresa, cada vez mais à vontade dentro daquelas roupas folgadas.
- Sempre soube que tinha bom gosto, Zac. - Vanessa levantou-se e chegou perto dele. - O que pretende fazer com seus antigos ternos?
- Mandei tudo para o Exército da Salvação - ele anunciou solenemente. - Acha que fiz bem?
- Para o Exército da Salvação! - Vanessa o imitou e em seguida caiu na gargalhada. - Você é incrível, Zac. É mais doido do que eu pensava.
Zac também explodiu na risada.
- Foi o que eu disse a mim mesmo. "Zachary, você é um cara maluco e não sabia!"
- Estou muito orgulhosa de você, Zac.
Oiiii
Esperando que o Zac fale logo a verdade...
Quero só ver a cara da Ash quando olhar o novo Zac hahaha
Comentem ai...
Obrigada pelos comentários
Beijinhoos e até amanhã...
PS: sempre esqueço de avisar que o top
Coment se encerrá no 27° capítulo, ou seja, daqui a 5 capítulos... :D

3 comentários:

  1. Finalmente uma iniciativa do Zac, so falta falar a verdade, agora a Ashley vai pagar a lingua, posta mais bjs bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossaaa eu imagino a cara de surpresa da Vane ao ver o Zac todo descolado..rsrs bjos amore posta logoo

    ResponderExcluir
  3. Pirando aqui
    essa fic tá me deixando maluca
    Vc tem que postar mais hj amore, pleaseee
    ♡♡♡ tá mega perfeito o capítulo

    ResponderExcluir