quarta-feira

6º Capítulo

Já estava escuro quando ela chegou ao bairro onde morava, na zona norte da cidade de Oklahoma.
Ocupava um pequeno apartamento de um quarto, sala e cozinha, que pertencia a um desses condomínios fechados. Os prédios eram já bastante velhos, mas muito bem conservados. A preferência pelo local se devia ao fato de proporcionar grande segurança aos moradores e possuir uma grande área verde ao redor.
Assim que Vanessa desceu de seu carro esporte, um Z280, Liam, um dos garotos da vizinhança, aproximou-se dela com uma bola na mão.
Tinha apenas doze anos, mas era muito amigo de Vanessa.
- Oi! Quer jogar bola comigo?
- Oi, Liam! Eu adoraria, mas hoje não posso. Tenho um encontro.
- Outra vez? - Liam seguiu com ela até a porta do apartamento. - Você devia se casar e ficar em casa de uma vez.
Vanessa riu enfiando a chave na fechadura.
- Como posso me casar, Liam? Você ainda não tem idade suficiente.
O garoto corou, mas dava para notar que seus olhos brilhavam de satisfação.
- Mas então quando vai poder jogar comigo? Eu disse a Tim que você sabe dar uma tacada em espiral melhor que qualquer um deles. Agora precisa provar.
- Bem, nesse caso preciso mesmo.
- Quando, Vanessa?
- Qualquer dia destes, eu prometo.
- Combinado, então. - O garoto sorriu satisfeito e, quando ia se afastando, Vanessa o chamou. - Espere só um instante, Liam! Tenho uma coisa para você.
- O que é? Algum cupom gratuito para hambúrguer? Ou desta vez é de sorvete?
- Não, nada relacionado a comida, Liam. - Vanessa foi até o quarto, voltando com um papel na mão. – Quero sua promessa de que vai cuidar muito bem disto, hein?
Era um autógrafo de Alex com dedicatória a Liam.
- Uau! Como conseguiu?
- Ontem à noite. Saí com Alex e pedi a ele especialmente para você.
- Puxa, Vanessa, é demais! Imagine o quanto não valerá quando o time dele vencer o campeonato! Mas não vou vender por nenhum dinheiro do mundo. Você é sensacional! – O garoto ficou na ponta dos pés para beijá-la. - É o melhor presente de Natal que já ganhei. Obrigado, amiga!
Vanessa fechou a porta rindo depois que Liam se foi.
Crianças eram sempre tão especiais! Será que algum dia também teria as dela?! Não, talvez fosse mais prudente nem pensar em ter filhos.
Significavam compromissos, responsabilidades e tudo o que ela desejava por enquanto era ser independente e divertir-se. E, depois, não havia um só homem na face da terra com quem gostaria de ter tanta intimidade.
Depois de tomar um banho,  Vanessa se viu às voltas com que tipo de roupa usar. Uma vez que o sr. Herrera não havia mencionado em que restaurante iriam, ficou em dúvida entre um traje mais sofisticado e um conjunto cáqui de brim, para o qual acabou dando preferência.
No último instante decidiu colocar colar e brincos de pérolas, e o efeito foi surpreendente. O traje esporte adquiriu um ar chique, sem perder a descontração.
Quando Zachary tocou a campainha, ela acabara de escovar os cabelos e passava batom. Largando o estojo, correu abrir a porta.
- Boa noite, srta. Hudgens.
- Boa noite, sr. Efron. Entre um pouquinho. Estou terminando de me arrumar. Só falta vestir meu casaco.
Com certa cerimônia, ele caminhou até o sofá onde sentou-se.
- Aceita um drinque antes de irmos? Tenho uísque, vodka, gim, conhaque e vários tipos de vinho.
Enquanto enumerava o sortimento de seu bar, Vanessa notou que ele franzia as sobrancelhas. Não se surpreendeu.
- Não, não, obrigado. Raramente bebo, quero dizer, nada que contenha álcool, é claro.
- Também quase não bebo, sr. Efron. Apenas mantenho-me prevenida por razões sociais.
- Dá para se notar que não comete extravagâncias, srta. Hudgens. Sua compleição é bastante saudável.
Vanessa o fitou indecisa. Não sabia se havia acabado de receber um elogio ou o resultado de um estudo científico.
- Obrigada - agradeceu de qualquer maneira e foi ao armário pegar o casaco de pele. - Está nevando lá fora?
Antes que acabasse de perguntar, Efron já estava atrás dela para ajudá-la a vestir o casaco. Usava a mesma colônia com que costumava ir ao escritório, de uma fragrância suave, próxima do limão. Excitantemente máscula, conforme Vanessa já a havia definido outras vezes. Própria de um homem sexy e ardente, justamente o oposto de quem a usava.
De repente ela começou a sentir um certo desconforto por estar ali a sós com o chefe, em seu apartamento. Era ridículo, disse a si mesma. Afinal que perigo ele poderia representar?
Oiiiii
O Liam é uma criança adorável hahahaha
Eu ri da Vanessa falando esse monte de bebidas que tem na casa dela
até parece que é uma alcoólatra hahahahha
Acho que ta na hora do Zac mudar logo.. :D
Amei a parte que o Zac ajuda a Vanessa... ♥___♥
Comentem ai e até qualquer momento!
Beijinhoos....

3 comentários:

  1. aiii que perfeitooo
    o Zac representa o perigo do pecado,da tentação,kkkk
    ninguém resiste a ele
    posta mais amore,kisses

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a rafa, tomara que ele mude logo, posta mais , bjs bjs

    ResponderExcluir
  3. Ai to amando e tbm concordo com a rafaela ngm resiste aquele pedaco de mal caminho kkkkkk posta mais
    Xoxo

    ResponderExcluir